Endodontia

O que é?

O Tratamento Endodôntico, mais conhecido como tratamento de canal, consiste na remoção da polpa – tratamento químico e mecânico da parte interna do dente e preenchimento deste espaço por um material obturador.

Por que tratar?

O canal não tratado pode virar um foco de infecção, prejudicando até a função das vias respiratórias. E ainda há a possibilidade das bactérias atingirem a corrente sanguínea, afetando órgãos como o coração. Com frequência, o tratamento do canal da raiz é a única forma de recuperar o dente. Ao remover a infecção e impedir a sua propagação, o tratamento de canal pode evitar a extração.

Indicações da necessidade do tratamento de canal

  • Dor espontânea e latejante, quando o uso de analgésicos já não resolve
  • Cárie muito profunda
  • Escurecimento do dente
  • Dor ao mastigar
  • Dente que receberá coroa / prótese, entre outros
  • Quando há imperfeição do tratamento existente, o que pode provocar lesões ou abscessos na região da ponta da raiz (detectados em radiografias).

Procedimento

O tratamento não é dolorido, pois é aplicada anestesia. Em alguns casos, pode haver pequena sensibilidade até 72 horas após o tratamento, que é resolvida pela ingestão de analgésicos. Após o tratamento o dente não morre, apenas perde a sensibilidade interna. Os tecidos de suporte continuam vivos e sensíveis à pressão. Apenas com pressão intensa haverá dor. O dente tratado perde seu brilho e pode aparentar um tom mais amarelado. O escurecimento exagerado ocorre quando o dente sofreu uma hemorragia ou mortificação antes do tratamento. Se o tratamento de canal não for feito, poderá ocorrer dor intensa, inflamação, inchaço e até mesmo a perda do dente. O nervo removido no tratamento do canal tem a função sensorial que possibilita sentir a sensação de quente e frio. A ausência do nervo não prejudica a função mastigatória do dente nem o torna debilitado.